Análise de perda do princípio ativo no processo de manipulação de cápsulas de nimesulida

Autores

  • Guilherme Garcia Rafael Centro Universitário Hermínio Ometto Autor
  • Paulo de Tarso Fernandes Ramos Rego Centro Universitário Hermínio Ometto Autor

DOI:

https://doi.org/10.61411/rsc202415517

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo sobre a quantificação e verificação de perdas do princípio ativo no processo de manipulação de cápsulas de nimesulida, para isso foram utilizadas duas metodologias analíticas previstas na farmacopeia brasileira, a cromatografia líquida de alta eficiência e a espectrofotometria. Inicialmente foram obtidas três amostras de 100 mg do medicamento manipulado de farmácias diferentes, e então para poder quantificar o ativo na amostra foi utilizado o método de calibração externa com seis soluções padrões de diferentes concentrações. Todas as amostras analisadas apresentaram uma perda do princípio ativo, e duas se mostraram abaixo do teor mínimo permitido de 95% do teor do rótulo, indicando a necessidade de desenvolver técnicas para aprimorar o procedimento de manipulação e evitar essa perda que pode prejudicar o tratamento do paciente.  

Referências

LENZ, Quéli Fernandes. Determinação da atividade anti-inflamatória e antioxidante de formulações semissólidas contendo nanocápsulas de nimesulida. Centro Universitário Franciscano, Santa Marina, 2009. Disponível em: < http://www.tede.universidadefranciscana.edu.br:8080/bitstream/UFN-BDTD/470/5/Dissertacao_QueliFernandesLenz.pdf>. Acesso em: 01/06/2023.

Nimesulida. [Bula]. Itapevi - SP: Eurofarma. Disponível em: < https://cdn.eurofarma.com.br/wp-content/uploads/2016/09/Bula_Nimesulida_Profissional-1.pdf>. Acesso em: 31/05/2023.

TEIXEIRA, Raquel da Silva. Nimesulida: Uso do medicamento pelos utentes da farmácia comunitária. Universidade Fernando pessoa – Faculdade de Ciências da Saúde, Porto, 2009. Disponível em: < https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/1647/2/MONO_13199.pdf>. Acesso em: 01/06/2023.

MELLO, Paloma A. de. et al. Hepatotoxicidade e alterações de exames laboratoriais de avaliação da função hepática por fármacos. Centro Universitário Santo Agostinho Revista Saúde em foco, Teresina, v.9, n 2, art , p 03-28, mai/ago. 2022.

Dados atualizados do setor magistral são apresentados pela Anfarmag. Anfarmag. São Pulo-SP, 06/09/2022. Disponível em: <https://anfarmag.org.br/dados-atualizados-do-setor-magistral-sao-apresentados-pela-anfarmag/>. Acesso em: 07/10/2022.

SABADINI, Lucas. Mercado farmacêutico no Brasil: confira os números de varejo para sua farmácia. Inova Farma, 2022. Disponível em: <https://www.inovafarma.com.br/blog/mercado-farmaceutico-no-brasil/#:~:text=No%20ano%20de%202021%20o,rela%C3%A7%C3%A3o%20ao%20ano%20de%202020>. Acesso em: 08/02/2023.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução da Diretoria Colegiada – RDC Nº 67, de 08 de outubro de 2007. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para uso Humano em Farmácia. Diário Oficial da União, Brasília,2007. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2007/rdc0067_08_10_2007.html>. Acesso em: 16/03/2023.

Dados atualizados do setor magistral são apresentados pela Anfarmag. Anfarmag, São Pulo-SP, 06/09/2022. Disponível em: <https://anfarmag.org.br/dados-atualizados-do-setor-magistral-sao-apresentados-pela-anfarmag/>. Acesso em: 07/10/2022.

Conselho Nacional de Saúde. Consumo de medicamentos: Um autocuidado perigoso. CNS, 2005. Disponível em: < https://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2005/medicamentos.htm>. Acesso em: 15/05/2023.

ANVISA. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Farmacopéia brasileira, volume 2, insumos farmacêuticos e especialidades. 6ª edição, Brasília, 2022. Disponível em: < https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/farmacopeia/farmacopeia-brasileira/insumos-farmaceuticos-e-especialidades-ate-2a-errata-p-pdf-com-capa.pdf>. Acesso em: 15/05/2023

MENDES, Recila Tainá; et al. Inibição seletiva da ciclo-oxigenase-2: Riscos e benefícios. Revista Brasileira de Reumatologia, p 767-782. 2012. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rbr/a/JJPmzqRJ3ykRpfFChScNrTP/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 10/09/2023.

HILÁRIO, Maria Odete Esteves; Terreri, Maria Teresa; Len, Cláudio Arnaldo. Anti-inflamatórios não hormonais: Inibidores da ciclo-oxigenage 2. Revista de Pediatria, Rio de Janeiro-RJ, 2006. Disponível em:< https://www.scielo.br/j/jped/a/xw7Py6gTnnHtvC3z3sJ4XTm/?format=html&lang=pt#. Acesso em: 10/10/2023.

Conselho Regional de Farmácia da Bahia. A farmácia magistral também é área privativa do farmacêutico. CRF-BA, 27 de janeiro de 2021. Disponível em: < https://www.crf-ba.org.br/a-farmacia-magistral-tambem-e-area-privativa-do-farmaceutico/#:~:text=Mais%20conhecida%20como%20Farm%C3%A1cia%20de,doses%20espec%C3%ADficas%20de%20cada%20paciente.>. Acesso em: 10/10/2023

Downloads

Publicado

2024-02-05

Edição

Seção

Ciências Naturais

Categorias

Como Citar

GARCIA RAFAEL, Guilherme; DE TARSO FERNANDES RAMOS REGO, Paulo. Análise de perda do princípio ativo no processo de manipulação de cápsulas de nimesulida. Revista Sociedade Científica, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 631–650, 2024. DOI: 10.61411/rsc202415517. Disponível em: https://journal.scientificsociety.net/index.php/sobre/article/view/155.. Acesso em: 24 fev. 2024.